Brasília - DF
16 de agosto de 2017

Qual depilação dura mais? Saiba em quanto tempo o pelo cresce em cada método

A depilação é apenas uma das preocupações da mulher para se sentir bonita e, ao mesmo tempo, manter a higiene em ordem. Mas você já parou para pensar qual processo depilatório é o mais vantajoso, levando em consideração a duração do método? A especialista em Fotodepilação, Camila Torlai, comentou quanto tempo o pelo demora para crescer nos diferentes tipos de depilação.

Depilação com lâmina 

A lâmina é aliada da maioria das mulheres, mas para usar corretamente é preciso muito cuidado. Apesar do risco de causar irritações na pele, é a maneira menos duradoura que existe para depilação. Normalmente, o pelo volta a crescer de 1 a 7 dias após o uso. Na maioria dos casos, é possível ver os pelinhos já no segundo dia. No entanto, a praticidade é o que torna as afiadas lâminas, item obrigatório na casa de todas as mulheres.

Depilação com cera 

A cera proporciona um resultado que varia de 15 a 25 dias, dependendo da genética de cada uma. Ela remove os pelos pela raiz, porém não elimina as células germinativas, fazendo que o pelo volte a crescer após um tempo. O ponto negativo fica por conta da agressividade com a pele, provocada pelas altas temperaturas, no caso da cera quente.

Cremes depilatórios 

Os cremes agem exatamente como a lâmina e não elimina o mal pela raiz. Muitas mulheres optam pelos tubinhos por ter alergia às lâminas e, claro, a enorme praticidade: é só passar, esperar, retirar o produto e pronto. Parece mágico. No entanto, após 1 semana os pelinhos começam aparecer novamente.

Fotodepilação

Também conhecida como Luz Intensa Pulsada (IPL), o método tem por fim a destruição do pelo através da luz. Camila explica que o que diferencia a fotodepilação do laser são as características técnicas. “A IPL consegue atingir várias profundidades do pelo e, ao mesmo tempo, ter a versatilidade de trabalhar com vários tons de pele”, informa. Além disso, o tratamento é indolor.

Já o laser é um tratamento um pouco mais agressivo para a pele, além de não conseguir tratar todos os tons de pele e tipos de pelo. Os objetivos, ainda segundo a especialista da rede D’pil, são os mesmos: atingir as células germinativas do pelo e, consequentemente, destruí-los. Diz ainda que ambos os métodos precisam ter feitos com profissionais qualificados e é preciso seguir à risca todas as recomendações ao longo do tratamento.

Apesar dos cuidados exigidos, são os processos mais duradouros que existem. Após o fim do tratamento, que dura em média 8 sessões,  é necessário realizar a manutenção, que costuma ser feita de 1 a 2 vezes por ano, dependendo do corpo da mulher.

 

Comentarios