A BÍBLIA EM DOIS TEMPOS

A BÍBLIA EM DOIS TEMPOS

Nossas Redes Sociais
  • 9
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Bíblia é um livro em dois tempos: o Antigo Testamento em que Deus fala para o homem que ele é um inútil e que todos os esforços do mundo não o redime de sua natureza depravada, mas Ele escolhe um filamento da humanidade para que dela nasça alguém que dará uma solução; e o Novo Testamento, em que a solução nasce em forma de Jesus.

Jesus veio primeiro para cumprir toda a Lei do Antigo Testamento, dentro dessa mesma Lei, para que o sujeito que declarar que Jesus é seu avalista, esteja livre de cumprir a Lei (Paulo fala bem dessa forma). Ou seja, o Antigo Testamento está na Bíblia pelo mesmo motivo que estudamos os evolucionistas em antropologia, para termos a referência histórica de tudo isso aí.

O cristão está livre de toda obrigação do Antigo Testamento. Nem os judeus seguem a coisa na forma da letra. O que temos do Antigo Testamento, enquanto cristãos, para absorver, são os ensinos de sabedoria oriental, ricos e úteis, deixados por Salomão e outras figuras grandiosas da antiguidade. Só.

Se quisermos seguir na letra a Lei escrita no Antigo Testamento – que foi feita só para um povo, o judeu; enquanto cristãos, estaremos invalidando o sacrifício expiatório de Jesus, nos tornando dessa forma anticristãos.

Jesus nos entrega como mandamento o amor ao próximo e o amar a Deus acima de tudo. Só podemos amar a Deus acima de tudo obedecendo seus preceitos e seus preceitos segundo Jesus é amar ao próximo como a nós mesmos.

Observemos que para sermos cristãos dentro daquilo que nos ensinam os evangelhos, precisamos apenas crer e declarar que:
1 – Jesus é o senhor;
2 – Jesus é filho unigênito de Deus;
3 – Ele veio ao mundo para nos salvar através de morte de cruz;
4 – Ele veio em corpo e subiu em corpo – logo não é só alma e espírito que importam para o cristianismo; e
5 – Ele voltará!
O resto é interpretação e acordo comunitário, que nós evangélicos e protestantes somos orgulhosos de sustentar a tradição de livre acesso e livre interpretação da Palavra Revelada de Deus.

Liberdade é o espírito basilar do protestantismo. Não permitamos que destruam essa sagrada tradição.

Claudio Siqueira
– Acadêmico de antropologia
– Designer gráfico

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *